CHANTILLY – A TERRA DO CREME FRANCÊS

FD7D5868-870D-45D6-B8C3-E6D3058B2785.jpeg

Chantilly, com apenas 12 mil habitantes, está localizada no norte da França, a 38 km de Paris e entrou de vez nos roteiros turísticos por dois motivos: o Creme Chantilly e o Castelo de Chantilly.

0

Faz parte do arrondissement de Senlis, no departamento do Oise na região da Picardia e produz porcelanas e vive do turismo (Castelo de Chantilly e cavernas).

0

Chantilly é uma cidade pequena. Todo o perímetro da cidade está a alguns minutos de caminhada.

1ED9FDF4-4BB9-494F-9F6D-6D5A98C4E549.jpeg

Chegando na área onde fica o castelo e todas as demais estruturas que compõem o “Domaine de Chantilly“, a gente já começa a ter uma visão panorâmica de tudo.
Para ter acesso ao castelo, é necessário ter em mãos o ingresso, pois, existe uma fiscalização logo no portão de entrada.

SONY DSC

O castelo é dividido em dois edifícios: Grand Château e o Petit Château. O primeiro a ser construído foi o Petit Château, que pode ser identificado por ser a parte mais medieval do castelo, por onde o acesso é feito através de uma ponte sobre um fosso.

35A004C7-54BD-4FCB-A4BC-88EB51ECCA09.jpeg

A história do castelo começou há muitos séculos atrás, quando ele era ainda uma fortaleza. Pierre d’Orgemont e sua família compraram o terreno e a fortaleza e viveram ali durante 3 gerações. Como eles não tinham herdeiros, o local foi deixado para um sobrinho, Guillaume de Montmorency.
Mas o castelo não ficou muito tempo em sua posse, pois, logo vieram os períodos de revoltas contra os reis da França e durante a Revolução Francesa, o castelo foi confiscado pelo rei Luis XIII, ficando sob seu domínio ou seja, sob domínio da Casa de Condé.

SONY DSC

Por algum tempo o castelo foi usado pela sua família, principalmente para grandes festas. Numa dessas festas dizem que foi onde o cozinheiro François Vatel criou a receita do creme chantilly, um creme que na época ele quis criar para impressionar a realeza francesa e como consequência disso, se tornar um dos melhores chefs que trabalhavam para o rei Luis XIII.

BB3656C8-573A-43ED-A0A3-9119A8353518.jpeg

O tempo de festas e banquetes durante a Revolução Francesa chegava ao fim, pois, o castelo foi invadido e boa parte foi destruído. O pouco que restou foi transformado em prisão.
Quem quiser almoçar ou fazer apenas um lanche por ali, existem algumas opções de restaurantes, como: La Capitainerie, Le Hameau e o Café Les Écuries.

7BA9345C-0725-4603-836F-9EB5630D5E2D.jpeg

O cardápio é bem variado, com diversas opções, indo desde lanches rápidos até pratos mais elaborados. O “chantilly original” é bem diferente do chantilly que conhecemos aqui no Brasil.

2A8439B3-2538-4E91-974A-49AEA5D8BBFE.jpeg

No Domínio encontram várias opções de restaurantes, com destaque para o Restaurant du Hameau, no qual pode-se apreciar uma deliciosa refeição ao ar livre. Além de deliciosos pratos principais, o restaurante serve sobremesas com a famosa crème chantilly!

0

Se pensam que já provaram este creme, enganam-se, porque é bem diferente dos preparados a que estamos habituados, bem mais espesso, com um delicioso sabor e intensa cor amarelada que provém das vagens de baunilha utilizadas na sua preparação.

E89CC756-2EA2-49B8-B036-DA8F3CC0B68A.jpeg

Chantilly fica no Oise, a 40 km de Paris. Situada entre florestas, é acessível pela RN16 Paris e pela RN 31, vindo de Beauvais e pela A1 Paris – Lille.

O escritório de turismo fica perto da estação de trem. Ao sair da estação, atravesse a rua e siga em frente, em direção à Rue Marechal Joffre. Lá você encontrará o escritório na esquina, à sua direita e obterá o mapa da cidade e o horário das apresentações do Museu do Cavalo.

859BFD40-8CF5-415D-BBCE-96EB96740174.jpeg

Saindo da propriedade, seguindo pela rua estreita de pedras, após o portão, você encontra uma grande variedade de boulingeries, pastisseries, restaurantes e lojas.
Para quem não fala nada de francês, uma boa pedida é ir até o Restaurante Silvie, na Rua Marechal Joffre e procurar pela Maria. Esta garçonete portuguesa é extremamente gentil.

B3B0D119-A24E-4568-B0FD-65F8A7AC25CD.jpeg

PRA CHEGAR DE CARRO:
4A2FACC9-EBAF-46D7-82B3-EC225DA96C6C

Pegar a A1, depois a saída número 7, onde há a indicação a Survillers-Chantilly. Chantilly fica uma hora de viagem.
O ideal pra ir é a primavera e o outono. O clima é ameno e as paisagens mais bonitas. O inverno é muito frio.

ADADFBE7-A45C-42B1-9D79-AB650C8011B2

No primeiro domingo de cada mês, de fevereiro a novembro, é realizado um espetáculo de equitação, com música, roupas de época e efeitos de luz.

DICA:
Experimente os doces com chantilly nas confeitarias da rua principal da cidade.

O ingresso que dá acesso a esses três lugares do Castelo custa 17 euros, mas é possível visitar apenas o parque e seus jardins por 8 euros. O horário normal de abertura é das 10h às 18h na alta temporada, do fim de março a outubro, e das 10h30 às 17h nos outros meses.

30E6B0CE-D977-4B18-8F88-B88AABBA9B05.jpeg

Na parte externa, está um enorme parque com 155 hectares, que conta com o jardim de Le Nôtre e seus espelhos d’água (que parece um pouco o jardim do Palácio de Versalhes), o jardim Anglo-Chinês, o jardim Inglês, um lago e até uma área onde ficam cangurus.

3E0E9CF0-87C7-484C-BE8A-DB2AB2561C6C.jpeg

ONDE COMER:

O Castelo de Chantilly possui três restaurantes, e é neles que o visitante pode provar a grande especialidade da região, o creme chantilly, açucarado, feito de creme de leite, receita que foi criada na cidade por François Vatel. Você pode pedir uma taça apenas com chantilly, café com chantilly, sorvete com chantilly, bolo com chantilly. Enfim, o que vale é experimentar o chantilly original “direto da fonte”. O restaurante Hameau fica em uma casa rústica na área do parque.

LA PORTE SAINT DENIS
C02C58EE-CF2B-4A29-86D9-71C91F1B06E3

BA5FCF78-57C2-4F4E-8391-D71C372A60F8.jpeg

C214EDC5-2214-4265-B003-36C4224EF9D2.jpeg

E15F5BA7-6B72-45C0-9B5E-6E8F22F68389.jpeg

L’Église Notre-dame De Chantilly

92242788-CCE3-492D-B29B-F1ADCE2D259D.jpeg

0841C825-4722-4E67-9B54-361C04C7458D.jpeg

3A03C7EE-6E1C-4E78-8C0F-A6E258D4CFE9.jpeg

D0AD5CFE-5CCE-4F54-A430-7087E06929BB

RECEITA DE UM DOCE TÍPICO FRANCÊS:TARTE TATIN COM CHANTILLY
9658A6C8-FF40-4976-8023-5F52946D69FA.jpeg

A tarte tatin, a famosa torta invertida de maçã, e o creme chantilly são clássicos. E o melhor: as duas sobremesas são ricas em história e fáceis de fazer. Mãos à obra!

A famosa torta de maçã invertida, dizem, nasceu no século XIX, no hotel e restaurante Tatin, localizado na pequena Lamotte-Beuvron, vilarejo na região de Loir-et-Cher. As irmãs Stéphanie e Caroline assumiram o lugar depois da morte do pai. A primeira era famosa pela torta de maçãs. Um dia, distraiu-se e assou a torta sem a massa no fundo da forma. Como as maçãs estavam caramelizadas, decidiu colocar a massa por cima e virar a torta quando saísse do forno. Foi um sucesso! Crítico da época, Maurice-Edmond Sailland, o Curnonsky, aprovou o doce e promoveu-o em Paris com o nome de “Tarte des demoiselles Tatin”. A receita leva massa sablée, maçãs, manteiga e açúcar. O hotel Tatin ainda existe em Lamotte-Beuvron.

INGREDIENTES:

170g de farinha

70g de manteiga

20g de açúcar

1 pitada de sal

1 ovo

1,6kg de maçã

80g de manteiga derretida

130g de açúcar cristalizado

PREPARAÇÃO:

Misture a manteiga à farinha, ao açúcar e ao sal, usando as mãos para obter uma consistência fina. Adicione o ovo, amassando a pasta. Depois, adicione uma colher de café de água. Deixe descansar.

Em uma fôrma de 24 cm de diâmetro e 5cm de altura, de preferência anti-aderente, coloque: a manteiga derretida, o açúcar e as maçãs descascadas e cortadas em quatro e colocadas uma ao lado da outra. Coloque mais uma camada de maçãs viradas para baixo. Leve ao forno à 200°C por 30 minutos. Nesse tempo, abra a massa. Tire a fôrma do forno e leve ao fogo na potência média. Deixe-a cozinhar lentamente por cerca de 25 minutos até o fim do cozimento.

Desligue o fogo, coloque a massa sobre as maçãs, fazendo furos com um garfo. Leve de volta ao forno por 25 minutos. Deixe esfriar um pouco antes de tirar a torta da fôrma.

CHANTILLY
67FBAF86-94F5-4C83-9E96-64CEBC2E70BE

A criação do creme Chantilly é atribuída ao cozinheiro e maître d’hôtel François Vatel, nascido em Paris, mas de origem suíça. Quando trabalhava no Castelo de Vaux-le-Vicomte, Vatel organizava festas e banquetes para Nicolas Fouquet, superintendente do Tesouro da França. Em 17 de agosto de 1661, Vatel preparou uma festa para 600 convidados, entre eles o rei Luis XIV e a rainha-mãe, Ana da Áustria. Na ocasião, serviu o creme de leite batido com açúcar e baunilha. Anos mais tarde, Vatel foi trabalhar como “mestre dos prazeres e das festividades” no Château de Chantilly, sob as ordens de Luís II, de Bourbon, o Grand Condé. A receita foi, então, batizada com o nome do castelo. Há quem diga que Vatel apenas refez uma receita que os cozinheiros da casa dos Médici, em Florença, já conheciam há tempos. Mas fato é que o famoso creme tem nome francês.

INGREDIENTES:

500ml de creme de leite fresco (não pode ser o de latinha)

2 colheres de sopa de açúcar

PREPARAÇÃO:

Junte o creme de leite fresco gelado com açúcar e bata até atingir a textura do chantilly.

AI, QUE VONTADE QUE DÁ !

0

0

0

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s